ESMERALDA


Os povos medievais acreditavam que a esmeralda trazia felicidade no amor e harmonia no lar.
É daí que vem a tradição de dar uma aliança de esmeralda á esposa no primeiro aniversário de casamento.

As esmeraldas apresentam cor irregular, com bandas ou manchas.
Somente as melhores são transparentes, sendo praticamente impossível encontrar alguma sem inclusões.

Frágeis e consequentemente muito sensíveis a pancadas, foi desenvolvida na joalheria uma lapidação especial para elas. Em degraus com formato irregular e os quatro Ângulos cortados, essa técnica recebe o nome de "lapidação esmeralda".


PÉROLA


Considerada a "Rainha das Gemas" a pérola é um verdadeiro presente da natureza: toda a sua beleza aparece no instante em que é extraída da ostra.
Ela é a única gema que não necessita lapidação nem polimento, já nasce pronta para ser usada na joalheria.

Mas como sua produção é muito lenta (é preciso esperar que um ser estranho entre no molusco, criando lentamente, camadas e camadas de nácar, até formar a pérola) chamada pérola natural cultivada.

É importante saber que a pérola cultivada é tão natural quanto a original, pois as duas são formadas num processo da natureza.


CITRINO


O nome Citrino tem origem latina Citrus, devido a sua cor amarelo-limão. Sua extração é feita em geodos ou gretas, e também em depósitos aluviais.

Os maiores produtores de citrino é o Brasil, em Minas Gerais, Bahia e Goiás, a África, Estados Unidos e a Rússia.

As gemas mais apreciadas são transparentes e têm cor natural amarelada e uniforme. Também pode adquirir um tom avermelhado, através de um processo de aquecimento.


TANZANITA


Em 1967, um tanzaniano pertence à tribo Maasai, Ali Juuyawatu, mostrou ao pesquisados Manuel de Souza, que procurava por rubis no continente africano, uma gema que havia encontrado nas montanhas ao leste da África.
A gema era muito semelhante à safira À primeira vista, mas quando observada de perto, era possível perceber sua coloração mais vibrante. Tanto Ali quanto Manuel não tinham ideia de que seguravam nas mãos a gema que se tornaria uma das mais raras e cobiçadas no mundo: a tanzania, batizada assim um ano mais tarde por Henry Platt, então presidente da aclamada joalheria Tiffany&Co. de Nova Iorque.

Para se ter uma ideia da alta qualidade desta gema, basta lembrarmos que elas chegam a ser mil vezes mais difíceis de se encontrar na Natureza do que os diamantes. As estimativas são de que as minas da tanzanita estejam esgotadas em apenas 30 anos, isto também contribui para que ela se torne cada vez mais preciosa. A fonte de extração desta gema tem uma extensão de apenas 4 quilômetros quadrados e está localizado em um único local em todo o Planeta, nas profundezas das colinas do monte Kilimanjaro, na Tanzânia.

A exclusividade da tanzanita está relacionada ao seu brilho excepcional e à coloração multidimensional que a torna única, é incomum encontrarmos duas gemas que possuam coloração exatamente igual.
Este ano esta bela gema celebra seu aniversário de 45 anos e comemora estar entre as joias mais cobiçadas pelas norte americanas desde 2001.

ÁGUA MARINHA


Considerada o talismã dos marinheiros, também acredita-se que estimula a atividade intelectual.
A distribuição de cor nessa gema é homogênea e frequentemente, também é mais transparente que a esmeralda.

Existem 35 tonalidades de azul, classificados como cores de água marinha.
O azul mais valioso é aquele de tom escuro e profundo, com boa transparência e brilho. É uma gema quebradiça e sensível á pressão, porém menos do que a esmeralda.

RUBI


O rubi é minerado na África, Ásia e na Austrália. Eles são mais comuns em Myanmar, no Sri Lanka e na Tailândia, porém também são encontrados em Montada e na Carolina do Sul nos Estados Unidos. Algumas vezes ocorrem juntamente com espinelas nas mesmas formações geológicas ocorrendo confusão entre as duas espécies: no entanto, bons exemplares de espinelas vermelhas têm um valor próximo do rubi.

As gemas de rubi são valorizadas de acordo com várias características incluindo tamanho, cor, claridade e corte. Todos os rubis naturais contêm imperfeições.

Na Índia, o rubi é referido como "ratnaraj" que significa "senhor das pedras preciosas". Segundo o hinduísmo, numa de suas lendas, o rubi surgiu proveniente de um diamante, quando uma rainha, depois de ser assassinada, derramou o seu sangue sobre um diamante e em todas as pedras iguais a ele.

Até os dias de hoje, o rubi é visto como um símbolo de amor e paixão, inicialmente, valorizados por manterem a saúde corporal e espiritual. Os hindus o utilizavam na pele como proteção de feridas e para evitar perda de sangue.
Acreditam que esta pedra ajuda na circulação do sangue e do coração, além de servir como um incentivador amoroso.

TURMALINA PARAÍBA


Pela sua cor inconfundível e sua raridade, a Turmalina Paraíba é a gema dos sonhos.
Foi no final da década de 80, que esta gema de um azul incomparável, foi encontrada na Mina da Batalha, em São José da Batalha, estado da Paraíba.

A tonalidade mais valorizada é a denominada "azul neon" extremamente intensa e brilhante.
É a variedade mais cara do grupo das turmalinas, devido especialmente, a sua extração, que deve ser feita de forma manual em reservas que ultrapassam os 30 metros de profundidade.

A vivacidade extraordinária da Turmalina Paraíba, no entanto só se revela após ela ser lapidada.
Depois desse processo, a cor logo se destaca mesmo aos olhos dos mais leigos em joalheria.
É a gema mais cobiçada e está cada vez mais rara na natureza.